Afinal que carro escolho eu?!

Escolher um carro nunca é fácil mas, com as ações de comunicação criativas das marcas, está a tornar-se uma tarefa cada vez mais difícil. Aqui deixo três exemplos geniais:

 

1) Volkswagen

Para promover a Volkswagen Amarok a marca criou um álbum de fotos no Facebook no mínimo irreverente… simplesmente clicando na seta para a direita, podemos ver o carro em andamento (Amarok FlipDrive).

 

2) Ford

Para promover o seu sistema de ajuda de estacionamento “Active Park Assist”, a Ford colocou uma máquina de pinball gigante ao longo de um espaço de estacionamento gratuito em Paris e programou os pára-choques dos carros da frente e de trás para reagir como pára-choques de pinball… quanto mais os condutores batiam nos pára-choques dos outros carros, maior era a sua pontuação.

 

3) Mini John Cooper Works Countryman

Há carros que usamos para ir a lugares especiais. Há carros que são tão especiais que apenas pessoas especiais podem tê-los. Depois, há os que conseguem fazer da simples tarefa de nos sentarmos no banco do carro uma experiência especial… foi exatamente isso que a Mini fez com o seu último modelo John Cooper Works Countryman.

 

E agora… afinal que carro escolho eu?!

 

FONTE: http://www.creativeguerrillamarketing.com/social-media-marketing/the-facebook-album-flipbook-by-volkswagen-amarok/

http://blog-de-marketing-online.blogspot.pt/2012/04/accion-de-ford-aparca-de-oido-y-tendras.html

http://www.creativeguerrillamarketing.com/guerrilla-marketing/minis-thrill-bench-leaves-you-invigorated-and-wanting-more/

Anúncios

Cancelas abertas para a Publicidade

Como se já não bastasse a aventura que é deixar o nosso carro num parque de estacionamento – encontrar um lugar vago, fazer “milhentas” manobras para conseguir estacionar e depois, à saída, andar à “caça” ao carro -, agora as agências de comunicação decidiram apetrechar as cancelas dos parques com publicidade. Mais uma solução criativa para fugir aos suportes tradicionais já tão gastos na nossa memória. Ora vejam abaixo dois exemplos criativos:

 

 

 

Como conseguir mais LIKES no Facebook de forma inteligente

Um dia destes cruzei-me com um artigo num blog que falava sobre os “do’s” e os “dont’s” quando se quer conseguir mais likes para a página de fãs no Facebook, ou seja o que se deve fazer e o que não se deve fazer.

Este texto chamou-me particular atenção porque as marcas e empresas cometem muitos erros nesta área. O que há mais são marcas a pedir para “gostarmos” delas, enviando mensagens privadas com textos todos pomposos ou adicionando desenfreadamente o botão “Gosto” do Facebook aos sites ou blogues, basicamente a “pedinchar” likes. Hoje vemos botões de Like do Facebook por todo lado. E o que é que isto nos diz a nós, potenciais clientes e consumidores?? “Eh pah, mais uma…”!

O que as marcas devem fazer é tornarem-se “likeable”, isto é criar coisas que mexam com as emoções e provoquem a curiosidade e o interesse. Existem diversas estratégias que as marcas podem implementar nos ambientes digitais. Apresento aqui dois exemplos, que o leitor pode considerar serem bons ou não, mas que sem dúvida marcam pela diferença e criatividade, fugindo ao claro “pedinchar”.

Um ótimo exemplo disto é a ação que a marca Mini da BMW fez na Holanda e França, através de um “Like” no Facebook o utilizador acendia a chama que estava posicionada para atingir a corda que segurava um carro numa rampa. Em um determinado “Like”, naturalmente a corda iria romper e essa pessoa receberia como prémio o carro da promoção. Gerou suspense e o “estudo” do melhor momento de fazer o “Like”, é uma ação focada na captação de seguidores e não na retenção, e a sensação de queimar uma corda com um clique no botão é algo muito interessante. Ora vejam o vídeo da campanha:

 

Outro exemplo é o da marca de roupa Stussy que lançou uma campanha para conquistar “Likes” prometendo “Strip for Likes”. É uma ação divertida que envolve sedução. Basta gostar” to get the girl undressed!

 

FONTE: http://cappra.wordpress.com/2012/01/19/fantheflame/

http://www.juanmarketing.com/strip-for-likes/

http://theoatmeal.com/comics/facebook_likes

Mark(think) PsicoSoma In(Ovate) mostra porque é que o Marketing é Sexy e Inteligente

Bons temas. Bons oradores. Boa organização. É esta a “Santíssima Trindade” por detrás do Mark(think) PsicoSoma In(Ovate), que teve lugar no dia 14 de abril no auditório da ESTV no Campus Politécnico, organizado pela PsicoSoma Viseu. Um evento onde o mais importante foram os conteúdos… sempre sexy’s e inteligentes claro! Foram apresentados e debatidos temas desde o empreendorismo, marketing pessoal, neuromarketing, às tendências mundiais do marketing, passando pelo marketing interno, Social Media e Internet, marketing verde e ainda o marketing de guerrilha. João Catalão (YouUp), Flávio Gart (Bazooka), Paulo Morais (Marketing Portugal), José Eduardo Garcia (AYR – Consulting), Paulo Moreira (Place Marketer) Jorge Remondes (Unv. Lusíada), Pedro Caramez (Linkedin Portugal), Fernando Rodrigues (PsicoSoma/LoveBox), Vasco Jorge (IPL), Yoann Nesme (PPL Crowdfunding Portugal), Teresa Paiva (IPG) e Maria José Madeira Silva (UBI), foram as “odaliscas” no palco deste “cabaré” sexy e inteligente.

Mas o que é isto do Marketing Sexy e Inteligente?! Não estamos aqui a falar daquela publicidade com imagens provocantes, quase a roçar a pornografia… aqui não é o caso de “o sexo vende”. Markeging Sexy é diferente de sexo no Marketing! Por isso falamos de Marketing Sexy e Inteligente. O Marketing Sexy serve para dotar as organizações de um sex appeal que as diferencie das restantes, e que leve ao desejo por parte dos potenciais clientes e consumidores de criar laços de relacionamento mais ou menos leais. E porque é que é importante?! Porque o Marketing não é mais do que uma relação pessoal, e as relações no Marketing não são fiéis, no máximo são leais.

Este dia ficou marcado ainda pelo lançamento oficial da obra Porque é que o Marketing é Sexy & Inteligente?! que vem demonstrar que o Marketing, Inovação e Criatividade são processos sexys e inteligentes, e que dessa conjugação resulta o sucesso. Vasco Jorge (Prof. IPL, mentor do projecto e coordenador da obra), Fernando Rodrigues (PsicoSoma e LoveBox-Mkt&Biz, mentor do projecto e coordenador da obra), João Catalão (YouUP), José Eduardo Garcia (AYR – Consulting), Paulo Moreira (Place Marketer), Jorge Remondes (Prof. Univ. Lusíada), Pedro Caramez (Linkedin Portugal), Julien Diogo (PsicoSoma e LoveBox-Mkt&Biz, coordenador da obra), entre outros, aceitaram o desafio da PsicoSoma Viseu de escrever um capítulo acerca de dois conceitos aparentemente “difíceis” de relacionar: Inteligência e Sensualidade! “A palavra Marketing em si própria desperta os cantos mais remotos da libido, conjugando com a palavra Sexy, facilmente julgamos estar a falar de Publicidade…. E eventualmente mulheres bonitas e ousadas na sua inteligência tangível, com sentido de provocação, os Marketeers não desgostam deste conceito, mas é absolutamente redutor e pagão… na verdade não é isso, o Marketing Sexy eles vai para além de publicidade e de mulheres bonitas, é fundamento em si próprio e a sua razão não pode ficar efemeramente esquecida.”, é isto que podemos ler logo no início do livro. O resultado está à vista, agora vamos lá saber Porque é que o Marketing é Sexy & Inteligente?!

PARABÉNS à PsicoSoma Viseu, e aos mentores e organizadores deste evento.

Como gerar buzz de forma “turbulenta” e “silenciosa”

Geralmente, quando as pessoas pensam em marketing, pensam em gastar muito dinheiro, mas não é preciso grandes orçamentos, quando se tem uma boa ideia. Deixo aqui dois exemplos, geniais, de ações de marketing de guerrilha, que geraram muito buzz, um com mais aparato (que deve ter custado algum dinheiro!) e outro mais simples:

Para o lançamento da TNT HD na Bélgica pensaram e que tal um botão para adicionar “drama” e confusão a uma esquina tranquila da Bélgica? Pois é, foi colocado um botão vermelho no meio da rua, com uma seta em cima a dizer “Push to add drama”, e depois foi… o drama, o horror, a ação!

 

Agora algo bem mais simples, mas igualmente marcante… Lembram-se de ver escrito nos vidros sujos dos carros “Lava-me Porco”?? Bem aqui a estratégia foi a mesma, mas a mensagem bem diferente… ciclistas limparam carros nas ruas para mostrar que a bicicleta não “suja tanto”.

 

FONTE: http://comunicadores.info/2012/04/09/ciclistas-limpam-carros-nas-ruas-para-mostrar-que-bicicleta-nao-suja-tanto/

http://www.brainstorm9.com.br/29271/advertising/o-que-aconteceria-se-voce-apertasse-o-botao-vermelho/

Serviços e aplicações para redes sociais

A Year in the Like é um serviço que monta um vídeo com o nosso histórico no Facebook, podendo incluir posts, fotos e até comentários. Podemos aindaconfigurar que dados queremmos exibir no vídeo, dá para selecionar fotos, imagens, atualizações de status, comentários… nós é quem mandamos! Experimentem aqui http://ayearinthelike.com/.

 

 

Agora se é daqueles que não consegue sair da frente do Twitter, talvez sua vida pode ficar um pouco mais fácil. Que tal se pudessemos ouvir as atualizações ao invés de precisar ler? O The Social Radio for Twitter é um player de áudio, este com a diferença de que nos avisa quando recebemos algum twitt. Ele, automaticamente, diminui o volume do som e uma voz feminina lê as nossas atualizações.

 

 

FONTE:

http://olhardigital.uol.com.br/jovem/redes_sociais/noticias/transforme-sua-timeline-em-video-com-ferramenta-da-microsoft

http://midiasocial.net/android/ouca-todos-os-seus-tuites-com-o-app-the-social-radio

Ação de Guerrilha de “emboscada”

A Publicidade e o Marketing estão a assumir novos contornos. As marcas apostam agora em proporcionar experiências, em forma de flashmobs na rua, na esperança de que se tornem virais. E quando o assunto é Flash Mob, a inovação parece não ter limites, é que algumas são mesmo surpreendentes! Ora vejam só os exemplo abaixo.

Uma mulher pára numa tenda da Nivea colocada na rua para experimentar o novo produto Q10 Plus e vai embora com um folheto com mais informações… mas não ficou por aqui, e é «vítima» de uma surpreendente e divertida flashmob:

 

Alguém pede uma indicação na rua e quando a pessoa aponta a direção há um “desmaio em cadeia”… porque “a bad breathe can make bigger damages than you think”. E tudo fica resolvido com Tic Tac: