Pequenos gestos de comunicação e responsabilidade social

Depois de largos meses de silêncio (por preguiça apenas), eis-me aqui de novo movida pelos últimos acontecimentos da vaga de migrantes e refugiados que tanto têm gerado buzz nos meios de comunicação, particularmente nas redes sociais. À parte destes tristes exemplos de desumanidade, prefiro continuar a pensar (com a minha ingenuidade) que há esperança, com a consciência de que não posso mudar o mundo mas que posso fazer a diferença, começando com quem me está mais próximo.

Vejo constantemente campanhas que me fazem continuar a acreditar nisso mesmo e que mostram pequenos gestos de humanidade. É disso exemplo a aplicação Watch to Donate. Basicamente só temos de adicionar essa funcionalidade e ver os vídeos publicitários no Youtube até ao fim, o que se converte em dinheiro para ajudar o Nepal que sofreu uma série de terramotos há poucos meses (saber mais aqui); dinheiro esse doado pelas empresas anunciantes. Se pensarmos na quantidade de vezes que saltamos os vídeos publicitários…

Falo também de um festival de música que aceita a doação de sangue como pagamento pelos bilhetes. O Untold Festival (Roménia) convidou o público a literalmente dar sangue pela música, pagando os bilhetes do festival através de doações de sangue para o Banco de Sangue da cidade da Transilvânia (saber mais aqui).

paywithblood(2)

Posso ainda referir o “Imprima Para Ajudar”, um projeto apostado em multiplicar a divulgação de cartazes de pessoas desaparecidas, uma parceria entre a HP e a organização Mães da Sé (Brasil). Bastava para isso que as pessoas registassem a sua impressora HP no site e, assim, sempre que alguém desaparece, a organização Mães da Sé envia cartazes para a rede e eles são impressos automaticamente pelas impressoras registadas na região onde a pessoa desapareceu.

E mesmo a tempo de fechar este texto, chegou até mim um artigo que fala do projeto da empresa britânica Café Art, que distribuiu 100 máquinas fotográficas descartáveis Fujifilm por pessoas sem-abrigo em Londres em Julho e pediu-lhes que tirassem fotografias com o tema “My London” (ver o resultado aqui). A ideia é escolher as 13 melhores fotografias para se convertem num calendário 2016 para apoiar o projeto.

Sim, eu sei que estas campanhas não vão resolver os estragos dos terramotos, não vão fazer com que pessoas deixem de desaparecer ou tirar todas as pessoas das ruas, mas já é melhor do que não fazer nada. Digo eu na minha ingenuidade. E temos aqui alguns exemplos de como a comunicação e a publicidade podem ser usadas para boas causas e impulsionar a responsabilidade social das empresas e da sociedade.

Beleza a quanto obrigas

O conceito de beleza tem mudado ao longo dos anos. Se os primeiros filósofos gregos viram uma forte conexão entre matemática e beleza, hoje a beleza é subjetiva e relativa. Talvez seja por isso que, a nova campanha da marca norte-americana de tamanhos grandes Lane Bryant não escapou à Comunicação Social. Ora espreitem o vídeo abaixo:


slogan “I’m no angel” escolhido para promover o seu novo modelo de soutien (ver aqui) é uma clara referência às manequins e ao conceito de beleza «promovido» pela Victoria’s Secret (saber mais aqui). Ainda associado a esta campanha, a Lane Bryant tem encorajado as mulheres a partilharem nas redes sociais as suas imagens que consideram mais sensuais, juntando-lhes a hastag #ImNoAngel.

Ao mesmo tempo, a Dove acabou de lançar um vídeo de uma experiência que fez em cinco cidades diferentes (São Francisco, Xangai, Deli, Londres e São Paulo) para provar que a beleza é uma escolha. A ideia passou por fazer as mulheres escolherem entre duas portas, uma com uma placa a dizer “beautiful” e outra “average”, e depois abordavam as mulheres para saberem porque tinham escolhido entrar por aquela porta (saber mais aqui).


Este tipo de campanhas já se tornaram a imagem de marca da Dove, que tem trabalhado ao longo dos anos para «maximizar» as mulheres. Em França, a marca também andou a dar cartas. Desta feita, dedicou-se a fazer uma recolha de comentários negativos que algumas mulheres fazem a elas próprias, e depois contratou atrizes para simularem um encontro de amigas num café e dizerem esses mesmos comentários umas às outras (saber mais aqui). Curiosos para saberem as reações das pessoas que estavam por perto? É verem o vídeo abaixo!


É mesmo caso para pensar “if it’s not acceptable to say to someone else, why say it to ourselves?”

E vocês? Também se deixam escravizar pela beleza?

O “Keep It Simple” na comunicação

Esta semana vi uma ação com uma vending machine de uma agência de criatividade no Canadá que me fez pensar que, por vezes, o minimalismo também chama a atenção das pessoas. Já aqui falei de várias ações com vending machines como veículo de comunicação/promoção de marcas. Sabendo que nós já estamos a contar que algo de extraordinário aconteça quando há uma vending machine por perto, a agência Taxi decidiu jogar pelo contrário (saber mais aqui). Ora vejam:


E foi em linha com esta ideia de comunicação minimalista que a agência austríaca WILD criou uma forma virtual de enviarmos mensagens de uma forma bastante simples: com as mãos. O sendamessage.to permite-nos enviar vários tipos de mensagens, como High Five, Fuck You, Respect,Peace, Hang Loose, Rock’n Roll e Thumbs Up, para um destinatário à nossa escolha, como podem ver pela imagem abaixo.

minimalismo 1

Depois temos o projeto minimalista do designer Mehmet Gozetlik que decidiu perceber o que aconteceria se pegasse nas marcas mais icónicas e simplificasse ao máximo os detalhes das suas embalagens (ver aqui). Será que iria fazer muita diferença? Olhem só para os exemplos abaixo:

minimalismo 2

minimalismo 3

minimalismo 4

E termino falando dos pequenos e simples vídeos publicitários que a marca de vestuário Gap lançou no início deste mês (outras informações aqui). No total são 10 mini-spots que promovem a coleção de natal do retalhista (consultar guia aqui). Deixo-vos em baixo três desses vídeos, mas podem ver todos aqui.


E vocês? Também gostam de jogar pelo minimalismo?

Mas que belo par de… campanhas

Estando a acabar o mês de outubro – mês dedicado à luta contra o cancro da mama –, e sendo hoje o Dia Nacional de Prevenção do Cancro da Mama, não poderia deixar de vos mostrar algumas campanhas que foram desenvolvidas neste âmbito.

Este ano, a marca de cereais Nestle’s Fitness tentou abordar a questão de uma outra perspetiva, numa tentativa de relembrar as mulheres que devem fazer o seu auto-exame com regularidade. Uma mulher andou pelas ruas de Londres com uma câmara «escondida» no decote… tinha um top com um decote bem revelador convenhamos (mais sobre a campanha aqui). O vídeo abaixo é o resultado deste «teste» onde as mulheres podem ver que todos os dias os seus seios estão sob «análise» de outras pessoas por isso, porque não o fazem também elas próprias?! A campanha estendeu-se para os social media com a hashtag #CheckYourSelfie, através da qual as mulheres poderiam encorajar as suas amigas a fazerem o mesmo.


Já em Portugal, a marca também não deixou as mulheres esquecerem-se, começando logo pela manhã, ao pequeno-almoço. Se forem consumidoras dos cereais Fitness, com certeza repararam que as últimas embalagens traziam um convite para nos juntarmos à marca na divulgação da luta contra o cancro da mama. Fazia referência a uma app (aceder aqui) através da qual podíamos dedicar um laço a um país em particular; no caso de Portugal, esse laço será «convertido» numa doação de 1€ à Associação Laço. Paralelamente, foi organizado um grande evento de Zumba – Zumba Fitness Party –, em que parte da receita da bilheteira revertia a favor da instituição Laço; o evento teve lugar no passado dia 25 de outubro, no MEO Arena (Lisboa).

cancro mama 6

Depois gostava de vos falar de uma campanha, promovida pela Breast Cancer Awareness Campaign, que está apostada em oferecer esperança às pessoas que de alguma forma «estão unidas» pelo cancro da mama. A campanha We’re Stronger Together propõe que as pessoas escutem histórias e partilhem as suas, incentivando a troca de experiências (mais informações aqui). Fica aqui o vídeo com a história de Meifang Yang, hoje com 91 anos, diagnosticada com cancro da mama – estádio III aos 43 anos. Podem consultar outras histórias aqui.


No Brasil, uma concessionária da Volkswagen também resolveu associar-se ao movimento rosa com uma campanha que leva as mulheres a apalparem de facto (mais informações da campanha aqui). 
Foi distribuído junto com um jornal impresso uma espécie de flyer interativo que associa o toque com os dedos do auto-exame às mamas com a leitura em Braille. Como podem ver pela imagem abaixo, o flyer tem a palavra “autoexame” gravada em Braille, com letras em alto revelo, junto à mensagem “A maneira mais simples de prevenir o cancro da mama” (logo abaixo está o alfabeto para ajudar na leitura).

cancro mama

Outra ideia que gostaria de partilhar convosco, por abordar a questão de uma forma mais «honesta», é o Scar Project do fotógrafo David Jay. Como o próprio nome indica, é um projeto que compõe uma série de retratos de grande escala que mostram as cicatrizes (físicas e emocionais) de mulheres que sobreviveram ao cancro da mama. Para além de chamar a atenção para a causa e angariar fundos, o fotógrafo tem como missão ajudar as sobreviventes a verem as suas cicatrizes e experiências através de uma «lente» mais honesta (saber mais aqui).

             cancro mama 2   cancro mama 3

Pois é, minhas senhoras… Temos mesmo de olhar por elas. Isto tudo porque, “elas atraem”! Se ainda dúvidas houvessem, uma campanha publicitária com dois enormes seios que andou a circular nas ruas de Moscovo deu origem a mais de 500 acidentes num só dia! A agência de publicidade especializada em anúncios mobile AdvTruck decidiu colocar trinta camiões a circular na capital russa com uma imagem com dois enormes seios na parte lateral, para promover um novo formato de publicidade (saber mais aqui). A ideia ficou-se por um dia depois da polícia ter feito uma «emboscada» aos veículos por causa dos riscos associados, uma vez que os homens ficavam tão distraídos que começaram a bater uns nos outros (outras informações aqui). Nós sabemos que uma campanha publicitária é sempre pensada para atrair a nossa atenção, mas não era a este ponto!

cancro mama 5

E vocês? Deixam-se atrair por este par?

BÓNUS: Vi um vídeo emocionante que mostra até onde as pessoas que amamos podem ir numa situação em que alguém é diagnosticado com cancro da mama, que podem também ver aqui.

É música para os ouvidos dos homens

Que me desculpem os homens que vão ler este texto mas, eu cresci a ouvir dizer que os homens gostam de três coisas: mulheres, futebol e carros. Correndo o risco de estar a cair num daqueles clichés sociais, vou-vos falar hoje de três ideias que mostram precisamente isso mas com um toque adicional… a música! As ações de comunicação que vão ver abaixo souberam tirar partido daquelas três coisinhas que referenciei no início para «dar música» aos homens.

Conhecendo a «opinião» dos homens acerca da música clássica, e para atrair novos públicos ao festival de música clássica B-Classic (Bélgica), a organização resolveu recorrer à «musicalidade» feminina. Caríssimos homens, desafio-vos a ouvir (a ouvir, repito!) o vídeo abaixo. Afirma-se como um novo formato de vídeo de música que combina a emoção atemporal da música clássica com o talento visual de um diretor contemporâneo (outras informações da campanha aqui).


E o que fez a operadora de telecomunicações TIM para mostrar que o deporto mais popular no Brasil é torcer? Ora «deu-lhe» som, pois está claro! No passado dia 22, com o apoio da agência Wieden+Kennedy, a operadora deu o «pontapé de saída» à ação Twittorcida convidando os aficionados do futebol a enviar sugestões de frases/gritos de apoio às suas equipas pelo Twitter através da hashtag #Twittorcida. A iniciativa aconteceu em tempo real e tinha como objetivo transformar esses tweets em músicas/cânticos (mais informações da campanha aqui). Deixo-vos abaixo um vídeo de um cântico criado a partir de uma quadra de um adepto do Flamengo, mas podem verificar outros vídeos que foram produzidos aqui.


E se forem bons de contas, dirão que ainda falta abordar a questão dos carros! Poderia falar aqui da peça musical que o compositor australiano Timothy Fairless construiu a partir da percussão e melodia de veículos da BMW (ouvir aqui). Mas penso que a «música» que mais agrada aos ouvidos dos homens é a do som dos pneus no asfalto. Por isso, optei por vos deixar aqui uma outra ação da BMW para promover a força do motor turbocomprimido e a tecnologia do sistema de travões do seu novo modelo M235i. São 90 segundos de um grande espetáculo coreográfico, entre alta velocidade e deslizamentos (making off da ação aqui).


E vocês (homens)? Vão nesta cantiga?

Afinal o tamanho importa, neste meio

Para anunciar o lançamento da sua nova app para compras online na Hungria, a Tesco apostou numa campanha chamada ‘The World’s Smallest Tesco’ (mais sobre a campanha aqui). Sabendo que era necessário captar a atenção da audiência mobile, a marca «ocupou» a cidade de Budapeste (Hungria) com a loja Tesco mas pequena do mundo. Mas não é bem uma loja física, como devem estar a pensar. O melhor é verem o vídeo abaixo:

Lembrei-me logo do mini-quiosque da Coca-Cola, uma campanha para promover as suas mini-latas de 150ml (mais sobre a campanha aqui). A marca espalhou mini-quiosques pela cidade de Berlim (penso que foi em maio deste ano), onde todos os artigos eram em tamanho miniatura, incluindo uma pequena vending machine para as mini-latas (ver vídeo aqui).

tamanho 1
E porque não falar da ‘campanha mais pequena do mundo’ com micro-posters e micro-figuras espalhados pela cidade de Lisboa, só percetíveis aos mais atentos?! Foi em abril de 2012, para promover o Congresso Nacional de Marketing organizado pela Associação Portuguesa de Profissionais de Marketing (APPM).

Agora, esta não é pequena de estatura, mas de largura… a vending machine mais magra do mundo é da Coca-Cola. Para promover a Coca-Cola Diet nos EUA, a marca optou por lançar uma campanha bem mais «elegante» do que estamos habituados. Conhecida como ‘The Slender Vender’, esta máquina cabe em qualquer lugar (mais informações aqui).

Por outro lado, com 250 metros de comprimento e 12 metros de altura temos o maior outdoor do mundo. Para comunicar as vantagens do novo smartphone G3, a LG não esteve com meias medidas e colocou no Aeroporto Internacional de King Khaled em Riad (Arábia Saudita) um outdoor gigantesco. Esta estrutura com mais de 1800 toneladas de aço foi produzida pela empresa de publicidade exterior JCDecaux, e demorou mais de três meses a ser instalada (outras informações aqui). Um outdoor tão grande que não passou despercebido ao Guinness Book of Records, estabelecendo um novo recorde como a maior estrutura de publicidade outdoor (ver aqui).

tamanho 2

E na secção dos tamanhos XXXL poderia ainda falar da loja pop-up construída pela Adidas (que andou em «digressão» pela Europa no ano passado), como podem ver nas imagens abaixo. Sim, é uma caixa de sapatos gigante! Ou então a pen-drive (que) arranha-céus da BrandSTIK e os blocos de notas gigantes da Post-it (uma campanha que lembra as pessoas do que é mais importante – os amigos -, para celebrar o 30º aniversário do Post-it note).

149173_10151460137839463_1806970346_n1452336_660635663959737_1512495220_n   49.creative-ads

E vocês? Afinal, o tamanho importa ou não?

P.S.: Já agora, já ouviram falar do FILMINUTE, o festival internacional de cinema mais pequeno do mundo?! É que este festival desafia produtores, argumentistas, animadores e atores a desenvolverem o melhor filme de 1 minuto do mundo. Ficam a saber que o People’s Choice Award do festival deste ano foi para um filme português, sob o nome de “O Avô” (ver aqui).

Ora bolas, é o que estas campanhas nos levam a dizer

Uma nova campanha está aí para chamar a atenção para o cancro nos testículos. À semelhança do que aconteceu com o ALS Ice Bucket Challenge (ler mais aqui), a campanha #FeelingNuts encoraja os homens a tirar uma fotografia a agarrar nos seus testículos, partilhar essa foto online, e desafiar os amigos a fazer o mesmo. Esta ideia surgiu da organização Check One Two com o propósito de levar os homens a fazerem o auto-exame aos seus testículos com regularidade (mais informações aqui). Como podem ver pela imagem abaixo, algumas celebridades já responderem a este desafio. Mas será que vai chegar ao nível viral do Ice Bucket Challenge?

bolas 1

Entretanto, a organização lançou um vídeo de animação (bem animado!), onde a dupla (de bolas) Ant e Dec nos explica melhor o foco desta campanha, como podem ver aqui.

E também pelo cancro nos testículos anda Thomas Cantley a puxar uma bola insuflável gigante pelos Estados Unidos. Conhecido como ‘Ballsy’, Thomas Cantley foi diagnosticado com a doença em 2009 e, depois de ter recuperado, decidiu chamar a atenção dos homens para a doença (mais informações aqui). ‘Ball Push’ foi o nome que deu à sua missão, que pode ser seguida na sua página no Facebook ou no website.

bolas 2
Tudo isto me deixou curiosa e comecei a pesquisar outras campanhas que tenham sido desenvolvidas no mesmo âmbito… E encontrei três que gostaria de partilhar aqui. A primeira foi implementada pela fundação Male Uprising Guernsey que usou personalidades desportivas bem conhecidas em Guernsey (uma ilha no Canal da Mancha) para aconselharem os homens a ‘Check their Balls’; já que eles são especialistas em bolas, percebem o trocadilho?! Esta campanha esteve por toda a imprensa, nos social media, em centros desportivos, autocarros (mais informações aqui). Até foi produzido um pequeno filme de 10 minutos, que foi usado nas escolas como ferramenta educacional (ver aqui). Para além de ter gerado um enorme burburinho nos meios de comunicação social, esta campanha também arrecadou um prémio de excelência nos Guernsey Awards for Achievement em 2013.

bolas 4
A outra campanha chega-nos do Canadá, e é de abril deste ano. A ideia era sensibilizar os homens para a doença através do choque, e chocou. A Testicular Cancer Canada convidou 20 homens a fazerem a depilação aos seus testículos e a registarem o momento (outras informações aqui). O resultado é um vídeo onde vemos SOMENTE as suas expresses faciais durante todo o procedimento.


Já em Inglaterra, a organização Orchid criou em 2012 um enfeite de Natal em forma de testículos… Um enfeite tão brilhante que os homens não se vão esquecer de fazer o auto-exame aos testículos (outras informações aqui). Todos os lucros conseguidos com a venda dos enfeites foram inteiramente para apoiar as atividades da organização.

bolas 5

E vocês? Andam a olhar pelas vossas bolas?