A dança em campanha

Eu sei, eu sei… É segunda-feira e ninguém está muito virado para a dança. E por isso mesmo é que devíamos dançar! Mas depois de verem os vídeos que escolhi para hoje, desafio-vos a ficarem sentados!

Primeiro, tinha de falar daquele remake que doentes com cancro fizeram do vídeo de música “Call on me” do Eric Prydz’s. Se ainda não o ouviram não percam mais tempo (está mesmo aqui em baixo!), pois como vão poder ver o cancro não tem de matar a nossa confiança.


Aktiv Against Cancer
trabalha para mostrar que a atividade física deve ser uma parte integrante do tratamento do cancro e os benefícios da atividade física na luta contra o cancro. Basicamente, incentivam as pessoas a serem ativas contra o cancro.

E porque não dançar enquanto o semáforo vermelho nos obriga a parar?! As pessoas andam sempre a fugir do semáforo vermelho, e se poderem vê-lo pelas costas melhor! A Smart sabe bem disso e, de forma smart, conseguiu que as pessoas gostassem do semáforo vermelho. Aliás, conseguiu que as pessoas ansiassem pelo sinal vermelho. Como? Pôs as luzes dos semáforos a dançar! E, ao mesmo tempo, contribui para uma maior segurança na estrada.


E se ainda têm dúvidas quanto aos benefícios da dança, lembrem-se da forma como a Evian escolheu mostrar que a sua água mantém o coração dos adultos jovem. Pois é, eles conseguiram passar essa mensagem com bebés dançantes, transmitindo energia e jovialidade ao mesmo tempo.


E termino com as crianças e jovens do Centro Menino Jesus da Manhiça, em Moçambique, apoiadas pelo projeto SER HUMANO da Organização Não Governamental para o Desenvolvimento TESE, a mostrarem como é que se dança.


E vocês? Alinham em dançar numa segunda-feira?

Anúncios

A integração das marcas no negócio dos gostos

No outro dia andava pela rua e passei por uma loja da Robbialac, um casal ia à minha frente e o marido diz “Olha aqui as tintas do Querido mudei a casa!”. Pois é! É que nem foi “Olha aqui as tintas que usam no Querido mudei a casa!”. (Para quem ainda não sabe, o Querido mudei a casa é um programa de remodelação de espaços com bastante notoriedade na televisão portuguesa.) E isto fez-me pensar no poder da inclusão de bens e serviços em programas de televisão de referência, ou em outros meios até. No caso do Querido mudei a casa temos a identificação do patrocínio e a colocação de produto/ajuda à produção. E claro que as marcas conseguem ter mais visibilidade (ou melhor dizendo, uma outra visibilidade) ao associar os seus produtos/serviços a programas apelativos.

Tudo isto me fez lembrar de um documentário que vi há uns dias no programa Observatório do Mundo da TVI24 sobre a geração dos likes, que falava daqueles adolescentes com milhares (senão milhões) de seguidores no Youtube que estão a chamar a atenção das marcas. Os adolescentes estão a conquistar o YouTube, criando vídeos com grande sucesso no canal, chegando a alcançar o estatuto de vedetas/famosos. Os chamados YouTubers querem mesmo trabalhar com marcas; falo de acordos para integração das marcas nos seus vídeos. Está a tornar-se numa tática para marcas que querem ser vistas como cool por exemplo, ou para marcas com produtos de nicho.

Dou-vos o exemplo de um rapaz de 24 anos chamado Tyler Oakley (com mais de 5 milhões de subscritores no seu canal do YouTube) que já trabalhou com marcas como Pepsi, MTV, Taco Bell… e ele simplesmente coloca vídeos nos quais fala sobre coisas e responde a perguntas que lhe são enviadas pelos fãs (sim, fãs imaginem!). Ou o jovem Steven Fernandez (atualmente conhecido como Baby Scumbag) que nunca imaginou o sucesso que ia ter quando começou a colocar no YouTube os vídeos das suas proezas em cima de um skate. Não tardou muito para a marca de artigos de skateboard Primitive olhar para ele com outros olhos, se é que me entendem!

Em vez de venderem os produtos ao público adolescente, as marcas colocam os próprios adolescentes a «venderem» os produtos. As marcas perceberam o valor que tem hoje em dia quando um adolescente diz aos seus amigos/seguidores “Eu gosto disto!”, “Eu gosto daquilo!”. É a mistura perfeita entre cultura e comércio.

Jason Calicanis é um empresário e bloguer que neste documentário falou sobre como as marcas se estão a ajustar ao mundo digital no sentido em que, como explicou, “audience equals power”. “The bigger your audience and the deeper your connection with it, the more opportunity you’re going to have in your life.”, disse Calicanis (mais declarações aqui). Neste documentário ficou claro que as marcas estão mesmo à procura de oportunidades para tirar vantagem das grandes audiências destes jovens YouTubers, e assim fazer dinheiro. Em última análise, basta vermos o filme “The Hunger Games”, e aí temos retratada “a economia dos gostos”!

E vocês? “Gostam disto?”

Vídeos de ficar com pele de galinha (e uma lágrima no canto do olho)

 

Como não gosto de chorar sozinha, partilho aqui 5 vídeos que me tocaram nas últimas 2 semanas. Há campanhas de comunicação que nos conseguem sensibilizar de tal forma que só me ocorre dizer (como um dia li de Joaquim Pessoa):

“A vida é exigente porque é generosa. É dura porque é terna. É amarga porque é doce.
É ela que nos coloca as perguntas, cabendo-nos a nós encontrar as respostas.”

 

Vejam o que acontece quando o National Australia Bank tenta reconhecer e recompensar os australianos pelos seus pequenos atos de honestidade:

 

Fora de si mesmos, passado e futuro encontram-se numa emocional campanha de perda de peso da empresa Medifast (saber mais). Se pudessem falar com o vosso ‘passado’ ou ‘futuro’ – LITERALMENTE – o que lhe diziam?

 

Uma flashmob num Centro de Emprego em Madrid dá um outro ânimo às pessoas que estão à espera para ser atendidas (saber mais)… “Here comes the sun” dos Beatles deu o mote para esta ação:

 

Um vídeo comercial da Mercedes-Benz que mostra a jornada de um pequeno rapaz com uma grande paixão… o final deste vídeo vai certamente fazer-vos sorrir!

 

O Missing Children Argentina recebe em média 3 chamadas por dia de pessoas dando conta de uma criança desaparecida. O problema é que as pessoas não se envolviam na situação. Então, para chegarem ao coração dos pais, foram espalhados vários códigos QR gigantes por um parque infantil… como que a representar uma criança (saber mais). Os pais acediam ao código com o seu telemóvel e aparecia um anúncio de uma criança desaparecida.

 

Rir é o melhor remédio… para «vender»

Ao definir a estratégia para uma campanha, os profissionais de Comunicação procuram encontrar a melhor maneira de atrair a atenção do seu público-alvo. É aqui que muitas vezes o humor é usado como ferramenta principal para passar a mensagem desejada pelo anunciante. Nem sempre resulta bem, mas quando é bem estruturado quando ser bastante persuasivo. Deixo-vos aqui alguns exemplos que descobri há pouco tempo:

1. Um homem sentado numa sanita no topo de uma coluna no centro da cidade durante uma semana (saber mais)… e tudo só para dizer “por favor não atirar objetos para a sanita”.

 

2.  Ser obrigado a ver as mamas do nosso vizinho enquento ele lava o carro de tronco nu (saber mais)… o objetivo é mostrar os benefícios em ter 100% de privacidade num empreendimento de luxo.

 

3. Colegas de quarto tão próximos, mas tão próximos que até partilham a mesma camisola (saber mais)… só para que não restem dúvidas de que na Kayak encontramos vários websites de viagens num só.

 

4. Um mágico que faz desaparecer um carro em plena passadeira para peões (saber mais)… porque o “roubo de carro acontece” e o melhor é ter um seguro, pois está claro!

 

Uma pitada de humor, uma colher de supresa e um pacote de camuflagem

Humor, surpresa e camuflagem… são os três “ingredientes” das ações que vos trago neste post.

Uma pitada de humor… O aplicativo Whatsapp que permite mandar mensagens de graça tem estado envolto em alguma polémica pela sua função ‘double check’ que aparece para enviar as mensagens; para alguns, ‘double check’ significa que o destinatário recebeu a mensagem e para outros dá a entender que o destinatário leu de facto a mensagem. O Whatsapp tratou este tema com humor mostrando que a função ‘double check’ não é Deus:

 

Uma colher de surpresa… Haverá melhor momento para promover um novo single do que numa grande noite numa discoteca? Foi exatamente isso que os Waxdolls fizeram para promover o seu novo single, “starting a fight”:

 

Um pacote de camuflagem… Coisas inesperadas acontecem sem aviso por isso, e para mostrar como é importante ter seguros, a Bradesco Seguros desenvolveu uma ação que faz o consumidor bater com o carro “sem querer”. Uma ação publicitária que não parece publicidade:

 

FONTE: http://adsoftheworld.com/media/online/bradesco_seguros_insurance_fake_ad

http://www.creativeguerrillamarketing.com/guerrilla-marketing/guerrilla-style-dance-off-in-club-to-promote-album-single/

http://blog-de-marketing-online.blogspot.pt/2012/06/genial-el-doble-check-de-whatsapp.html

Felicidade a 360º com os gelados da Ola

A marca de gelados Ola anda numa de distribuir felicidade nas ruas com a sua campanha ‘Streets Ice Cream’… desta vez colocou uma tenda que captava imagens a 360º nas cidades de Sydney, Melbourne e Brisbane. Ora vejam o resultado:

 

FONTE: http://www.streetssharehappy.com.au

Spot televisivo da Pepsi faz o 2 em 1

 

Pepsi junta num spot televisivo duas das áreas em mais aposta: música e futebol. No vídeo acima vemos um spot televisivo para a Pepsi Max onde entram jogadores de futebol como Messi, Drogba, Torres, Lampard e Wilshere, num c0ncerto do DJ Calvin Harris.

FONTE: http://blog-de-marketing-online.blogspot.pt/2012/03/anuncio-de-pepsi-max-musica-y-futbol.html?utm_source=feedburner&utm_medium=email&utm_campaign=Feed:+ElBlogDeMarketingOnline+%28El+blog+de+marketing+online%29